Universidade de Bauru concede Honoris Causa ao Papa Bento XVI

papabentoebispo

Dom Caetano Ferrari e Papa Bento XVI

Na última sexta-feira (dia 6), por volta de 11h30, Sua Excelência Reverendíssima Dom Caetano Ferrari, Bispo de Bauru, esteve com o Papa Bento XVI, abrindo a visita Ad Limina dos bispos do Regional Sul 1 da CNBB.  Na ocasião, foi entregue ao Santo Padre uma carta informativa (veja na galeria de imagens) da Universidade Sagrado Coração (USC) que, por votação unânime do Conselho Universitário, concede o título de DOUTOR HONORIS CAUSA a Sua Santidade. A entrega da correspondência será considerada o presente da circunscrição eclesiástica para o Papa, sendo a região bauruense um pólo universitário.

Para a Universidade, em comunhão com a Diocese de Bauru, foi um momento de grande alegria aprovar tal ato, embasada por tantos méritos do Sumo Pontífice apresentados em reunião pela Magnífica Reitora Profª. Drª. Irmã Elvira Milani e pelo Digníssimo Chanceler Prof. Ms. Rodrigo Rocha. “Entre todos os instrumentos da educação, possui a escola importância peculiar”.

A frase, de Madre Clélia Merloni – fundadora do IASCJ -, é cumprida à risca até hoje pela comunidade acadêmica da USC. Como universidade confessional e comunitária, tem um papel importante dentro do contexto regional de formação de jovens com qualidades científicas, morais e espirituais, de acordo com os  princípios cristãos e de acordo com o Magistério da Igreja.

Sobre a USC

A primeira página da história da USC foi escrita em 1953, ano de criação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras. São 56 anos de trajetória para  se tornar a maior Universidade privada de Bauru. A determinação e o empenho das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus (ASCJ) levaram a USC a conquistas e a uma evolução constante e notória.

De Faculdade, em 1986 tornou-se Universidade e, atualmente, oferece 38 cursos de graduação, 56 de pós-graduação, 7 cursos superiores de curta duração e dezenas de atividades científicas, culturais e sociais. Seu corpo docente é composto de mais 80% de mestres e doutores.

Outros números revelam a qualidade da USC: 22 mil profissionais formados, 5 mil alunos matriculados, mais de 400 computadores em rede, campus com 114 mil metros quadrados etc. A Universidade conta, ainda, com dezenas de sala de aulas, laboratórios, clínicas, restaurante, teatro e a maior biblioteca de toda região com mais de 126 mil livros.

A qualidade da USC vai além dos números. Ela se revela em sua história, em sua filosofia e trajetória no cenário da educação brasileira e, mais recentemente, em sua parceria com a Universidade Santo Tomás (Chile) e intercâmbio com Universidade de Santiago de Compostela (Espanha), que a impulsiona para o cenário acadêmico internacional. São mais de cinco décadas em busca da excelência na educação, da excelência na formação de profissionais líderes com coração. Apresenta, ainda, Clínicas de saúde a serviço da comunidade, totalizando 27 mil atendimentos por ano e 13 programas sociais, com 8710 atendimentos por mês.

Anúncios

PARABÉNS FREI DITO

Há momentos marcantes em nossa vida: o nascimento é um deles. Daí celebramos agradecidos o dom da vida! Somos todos filhos de Deus e Ele nos olha com amor. E ainda, debruça-se sobre cada um de nós e nos diz: “Você é meu Filho muito amado” MT 17,5b.

O Espírito do Senhor, manifestado em forma de pomba, o cubra com seu sopro renovador, protegendo-o em seu amor de Pai. Assim como a vela consome-se lentamente para iluminar, sua vida seja também uma luz acesa a clarear os passos dos seus semelhantes.

Desejamos ao nosso querido pároco Frei Dito, que o Senhor da vida ampare seu caminhar e oriente os seus passos.

CPP – Paroquia Santa Clara de Assis – Bauru/SP

Vaticano: João Paulo II será beatificado em 2010

O papa João Paulo II será beatificado entre abril e maio de 2010, em Roma ou na Cracóvia (Polônia), segundo publicou o jornal “La Repubblica”.

O grupo que apóia a escolha da cidade de Roma para receber a celebração de beatificação de Karol Wojtyla é muito mais institucional mais ligado à Cúria vaticana e já está organizando o ato com a Prefeitura da capital, para que a canonização seja realizada na Praça de São Pedro.

Em 2008, o papa Bento XVI autorizou o início do processo de beatificação sem que fosse necessário esperar os cinco anos depois da morte de João Paulo II, como estabelece o Código de Direito Canônico, mas assegurou que não haverá mais exceções ao procedimento.

COMUNIDADE NOSSA SENHORA DAS DORES, RECEBE ‘MOÇÃO DE APLAUSOS’ DA Câmara municipal

A Comunidade Nossa Senhora das Dores,que pertence a Paróquia Santa Clara de Assis (Bauru/SP) recebeu no dia 09 de Novembro, na 41º Sessão Ordinária, na Câmara Municipal de Bauru, a “Moção de Aplausos” de autoria do vereador Pastor  Luis Rodrigues Barbosa (PTB).

Com a presença de todos os vereadores, a comunidade foi homenageada pelos serviços prestados à comunidade, enfatizando a comemoração do dia das crianças, realizado no dia 11 de outubro, que teve a presença do ex-chefe de Gabinete da Câmara Municipal e atual Secretário Municipal da SEAR, Ricardo Oliveira. Ainda foram congratulados a Associação de Moradores do Parque Jaraguá.

Igreja Católica:Câmara dos Deputados aprova acordo do Brasil com a Santa Sé

20691eb82c195a3fd40910b4ea12a030
Brasília (DF) -A Câmara dos Deputados aprovou, na noite de ontem, em sessão extraordinária, o acordo do Brasil com a Santa Sé sobre o Estatuto Jurídico da Igreja Católica no Brasil. Com 20 artigos, o acordo, assinado em novembro 2008, segue agora para aprovação do Senado.

Um longo debate de mais de três horas tomou conta da Câmara antes da aprovação do acordo. Um requerimento pedindo a retirada de pauta da votação do acordo foi rejeitado pela maioria dos deputados. Antes da votação os relatores das Comissões de Constituição e Justiça; de Trabalho, de Administração e Serviço Público e de Educação leram seus pareceres.

Os relatores das duas primeiras votaram favoravelmente ao acordo na íntegra. Já o deputado Chico Abreu (PR-GO), relator da Comissão para Educação, aprovou o acordo propondo a supressão do termo “católico e de outras confissões religiosas”, contido no parágrafo único do artigo 11, sobre o ensino religioso nas escolas. A proposta gerou uma acirrada discussão quando vários parlamentares se manifestaram afirmando não ser permitido à Câmara alterar acordos bilaterais firmados entre dois estados. Seguindo proposta do presidente da Câmara, o relator modificou seu parecer apenas recomendando a supressão do termo.

Num minucioso parecer, o deputado Antônio Carlos Biscaia (PT/RJ), relator da Comissão de Constituição e Justiça, citou cada um dos vinte artigos do acordo e mostrou que todos estão em consonância com o ordenamento jurídico brasileiro e com a Constituição Federal. Segundo Biscaia, outros Estados laicos, como a Itália, aprovaram acordo semelhante com o Vaticano e outras religiões. Citou, inclusive, o acordo que a Itália assinou com a Igreja Assembleia de Deus em 1988. Destacou, ainda, que o Congresso brasileiro “tem legitimidade para convalidar tratados e acordos internacionais”.

“A aprovação pela Câmara dos Deputados é um passo importante em direção a homologação do acordo do Brasil com a Santa Sé. Houve um espaço amplo de debate no plenário e o parecer do deputado Antônio Carlos Biscaia (relator da Comissão de Constituição e Justiça), foi muito bem feito, o que confirma nossa convicção de que o acordo não fere o ordenamento jurídico brasileiro. A laicidade de um Estado não é coibir a prática religiosa, mas favorecer para que a religião possa ser regida da maneira mais simples possível”, afirmou o secretario geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Dimas Lara Barbosa, após a aprovação do acordo pelos deputados.

Antes de ir a plenário na Câmara, o acordo já havia sido apreciado e aprovado pela Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional. “O texto não estabelece nenhum privilégio para a Igreja Católica, mas apenas fixa normas que podem ser consideradas de interesse de todas as religiões”, disse o deputado Bonifácio Andrada, relator da Comissão.

Para permitir a votação ontem, os líderes partidários fecharam um acordo com os evangélicos no sentido de aprovar um projeto de lei do deputado George Hilton (PP-MG), que é evangélico. O projeto dispõe sobre as garantias e direitos fundamentais ao livre exercício da crença e dos cultos religiosos. O projeto também foi aprovado pouco antes da meia noite.

Boletim diário da CNBB, Brasília, 27 de agosto de 2009

VOCAÇÃO

MÊS DE AGOSTO: MÊS DAS VOCAÇÕES
vocação_frade_menor

Frei Rodrigo da Silva Santos

A vocação do frade menor é o seguimento fiel de Jesus Cristo da mesma forma que Francisco viveu há 800 anos atrás. Este modelo de vida religiosa perdura por todos estes séculos e todos os religiosos que o sustentam recebem o apoio de que necessitam já em suas etapas iniciais de formação. Há um carinho e cuidado especial dispensado pela Ordem, que pode ser percebido pela recente carta do Ministro Geral, Frei José Carballo, a todos eles, manifestando seu carinho e receios por seus jovens irmãos (Fazei o que Ele vos disser, por ocasião do III Capítulo das Esteiras para os jovens Frades da Ordem), grupo do qual todos nós, frades estudantes de Rondinha, fazemos parte.

Nós, jovens frades fomos chamados por Deus para sermos uma nova luz para o carisma franciscano. Somos aqueles responsáveis pelo revigoramento do ideal de Francisco, sua atualização diante dos novos desafios que a sociedade impõe e, temos que nos esforçar para nos manter à altura do que nos é esperado. A Ordem nos olha com afeto, com esperança, com gratidão; mas também com a preocupação, “porque vocês devem enfrentar problemas certamente mais difíceis do que aqueles que nós, Frades das gerações que os precederam, tivemos de enfrentar e, às vezes, vemo-los menos preparados do que fomos nós para a luta que os espera”.

Diante de tal chamado, devemos perceber a necessidade de sempre buscar a Deus no quotidiano da vida e não se entregar ao caminhar apático pelo mesmo do dia a dia. É necessário abandonar o espaço seguro de nossas certezas e se lançar no projeto de Deus que se manifesta de modo misterioso. É necessária a maturidade de abandonar-se na entrega aos outros e disponibilidade de se empenhar na busca. E nós, frades menores, somos chamados a dar este salto de fé, tão necessário para um fiel seguimento do modelo de Francisco de Assis que tanto desejamos realizar.

A vocação dos frades jovens é caracterizada por um forte ideal de mudança, transformação. Nós queremos a renovação, abandonar critérios que, sob a nossa perspectiva, já não condizem com as reais necessidades e desafios do mundo contemporâneo. Queremos a fidelidade ao carisma muito mais que a segurança de uma instituição organizada que ofereça segurança. Nós temos a força e a alegria das origens que desejam a missão, o encontro e a proximidade com os pobres que, mais do que a promessa de ajuda que possamos oferecer, eles nos mostram o caminho para o qual a nossa vocação nos impele a seguir: a alegria do despojamento, da libertação das amarras que nos impedem de encontrar o verdadeiro tesouro (Mt 13, 44).

Nós, frades menores que ainda renovam seus primeiros votos de entrega a Deus, Bem Supremo, verdadeiro tesouro, mas, também, pobre e crucificado devemos ser fortes para mantermos o vigor que nos leva adiante hoje presente por todos os anos que seguirão. A força da vocação de hoje deve ser o alimento dos frades que seremos amanhã. Devemos guardar o ideal como sentinelas, mantê-lo vivo e presente no mundo que necessita mais desta luz do que nós mesmos. Para isso, todos os momentos da vida religiosa, marcados pela Eucaristia, pela escuta atenta da Palavra de Deus, de oração e comunhão fraterna devem ser vividos como únicos e imperdíveis oportunidades de entrever o Deus que nos chama e se faz presente, de forma humilde, por trás de todos eles.

Sigamos nosso chamado com alegria, porque coisas mais altas nos foram prometidas se formos fiéis ao pouco que Ele nos pediu. Hoje, já como frades menores, somos possuidores deste tesouro que nos guia e nos dá a certeza de seguir o apelo que Maria nos faz: “fazei tudo o que ele vos disser!” (Jo 2,5).

A Carta do Ministro Geral aos jovens Frades: “Fazei o que Ele vos disser” foi publicada pela Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil em: VIDA FRANCISCANA; Ano LXIV nº 81, de dezembro de 2007. Também se encontra disponível em:
http://www.ofm.org/01docum/mingen/giovaniPOR1.doc

Santo Terço – Mistérios Vocacionais

Uma proposta para o Ano Sacerdotal. Comprometa-se você e a sua Equipe de Animadores Vocacionais a rezar o Santo Terço com os Mistérios Vocacionais, ao menos uma vez por mês, pela Santificação do nosso clero, de nossos religiosos e religiosas, e de todos os leigos, além de estarmos juntos pedindo ao dono da messe que envie mais operários para sua messe.terco_170809

“A Messe é grande, mas os operários são poucos”.

SANTO TERÇO
MISTÉRIOS VOCACIONAIS

Primeiro Mistério:
A Busca: Então Jesus voltou-se para eles e, vendo
que o seguiam, perguntou-lhes: ‘A quem procurais? “Responderam-lhe:
“Rabi – que quer dizer Mestre – onde moras?” Ele disse: ‘Vinde e vede’.
Eles foram, viram onde morava e ficaram com ele aquele dia. Eram quase quatro horas da tarde’ (Jo 1,38-39).

“Onde moras?” é a pergunta que os discípulos André e João colocavam. Ela não é mais do que a expressão de uma mesma busca que todos inquietamente fazemos: “onde está a felicidade?”. Por isso, vale sempre a pena re-colocar esta pergunta: você é feliz?

Segundo Mistério:
O Chamado: E Jesus lhes disse: ‘Vinde comigo, e eu farei de vós pescadores de homens’. Deixando imediatamente as redes, eles o seguiram” (Mc 1,17-18).

Os discípulos percebem em Jesus Cristo algo de diferente, algo de
autêntico e profundo e, por isso, aceitam deixar imediatamente as redes
e segui-Lo. Quantas vezes ficamos agarrados àquilo que deixamos ou ao comodismo da mediocridade? E você? Já cruzastes com Cristo pelo caminho? Que tens feito perante o mesmo desafio?

Terceiro Mistério:
O Seguimento: “Então Jesus disse aos discípulos: ‘Se alguém quiser vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; mas quem perder a sua vida por amor de mim, há de encontrá-la’” (Mt 16,24-25).

Rapidamente a resposta afirmativa ao chamamento que nos é feito por
Jesus Cristo traz conseqüências: segui-Lo implica amá-Lo, e amá-Lo
implica aprender a imitá-Lo. Assim, como caminho de felicidade (seja
como leigos, como ministros ordenados, ou como religiosos) nos é
apresentada a cruz. Já fizeste a experiência na tua vida de como é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se alcança a felicidade?

Quarto Mistério:
A Missão: “Ide, eu vos envio como cordeiros para o meio de lobos. […] Quando entrardes numa cidade e vos receberem, comei do que vos for servido, curai os enfermos que nela houver e dizei-lhes: ‘O reino de Deus está próximo de vós’” (Lc 10, 3-9).

Muitas vezes, somos colocados em contextos onde há muito pouca
esperança. Porque é que tantas pessoas não conhecem a alegria de saber que o reino de Deus está perto de cada um de nós? Como tem sido o nosso testemunho enquanto cristãos? Como tem sido o nosso trabalho de engajamento em nossas comunidades?

Quinto Mistério:
A Fidelidade Radical: “[…] As raposas têm tocas e os pássaros do céu, ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça”. […] “Deixa que os mortos enterrem os seus mortos. […] “Quem
põe a mão no arado e olha para trás não é digno de mim” (Lc 57-62).

Jesus Cristo, sacerdote único e eterno, faz com que nunca se apague em nós a certeza de que só permanecendo em Ti encontramos sentido para a vida.

Frei Osvaldo Maffei, OFM
(Do site: http://www.franciscanos.org.br)